segunda-feira, 27 de maio de 2013

Uva-do-Japão

Confesso a minha ex-ignorância, que hoje foi sanada. 
Sempre ouço minha família falando nessa tal de uva do Japão, mas nunca soube do que se tratava. 
Então peguei minha câmera e fui à caça. No bom sentido.
Minha mãe só precisou apontar para o alto. E eu, "são essas árvores? Todas elas? Não brinca!"



Os frutos são muitos e estão espalhados pelo chão. 


Cacau, que não é boba, complementa a refeição comendo umas frutinhas. Essa cadela não rejeita nada. 



A uva-do-japão é uma árvore caduca, de porte médio, muito utilizada na arborização urbana. Sua copa é aberta, de formato globoso a oval. O caule apresenta rápido crescimento e pequeno diâmetro. Sua casca é escura, de textura lisa a levemente fissurada. As folhas são ovais, verdes, brilhantes, de disposição alterna e caem no outono e inverno. As flores numerosas, surgem no verão. Elas são pequenas, hermafroditas, perfumadas, branco-esverdeadas e atraem muitas abelhas. Os frutos são cápsulas secas, marrons, sustentadas por pedúnculos carnosos, doces e de cor castanha. Cada fruto contém de 2 a 4 sementes amarronzadas. A dispersão das sementes é zoocórica (por animais).
Os frutos da uva-do-japão têm sabor aprazível, mas devem ser colhidos maduros. Quando verdes, têm sabor adstringente e quando passados, fermentam e ficam com gosto alcoólico. Eles podem ser consumidos in natura  ou na forma de geléias. É uma árvore apropriada para o paisagismo urbano, em estacionamentos, rodovias, praças e parques. Devido ao seu tamanho um pouco avantajado (atinge cerca de 25 metros), a uva-do-japão não é indicada para arborização de calçadas sob fiação elétrica.
Por ser uma árvore que frutifica em abundância, ela têm sido amplamente utilizada na recuperação de áreas degradadas, com o objetivo de atrair a fauna (aves e mamíferos). No entanto têm se revelado uma espécie perigosamente invasora, que reduz a diversidade das matas nativas e se multiplica rapidamente com a ajuda dos animais.
Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável e leve, com regas regulares no primeiro ano após o plantio. Não tolera encharcamento ou inundações. Multiplica-se por sementes e estacas. As sementes podem ser escarificadas para quebrar a dormência. A frutificação inicia-se de 3 a 4 anos após o plantio.

7 comentários:

AnaCristina disse...

eu ja ia perguntar se voce esta no japao rsrs

Vida no Campo disse...

Por aqui tem por todo canto até parece praga mas estão sem folhas e super carregadas de frutos ,os passarinhos é que fazem a festa ,beijos

Lucinha disse...

Patty,

Acho que nunca vi essa árvore. Já ouvi falar da fruta.
Gostei muito de aprender sobre ela, e suas curiosidades.
A Cacau sabe o que é bom.Rs
Lindo dia! Beijos

Jorge Ramiro disse...

O meu cão também gosta muito das flores. Mas eu comprei uma cerca Tubline para que ele teia seu próprio espaço para brincar sem destruir as minhas flores.

Luciana. disse...

No bairro que morei antes desse daqui, tem muitas dessas árvores.
A Cacau é espertinha, uma sobremesa é sempre muito bom.
Bjos, Lú.

TRIPLO G disse...

quero comprar vc vende essa fruta mande me um email destraconfiaca@gmail.com

TRIPLO G disse...

quero comprar esses frutos vc me venderia e enviaria pra mim? destraconfianca@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...